Negócios familiares representam 80% das companhias no país - Folha de Alphaville
24/08/2018
ECONOMIA
Negócios familiares representam 80% das companhias no país
Em Alphaville, a Gazar, loja de moda, é administrada pela proprietária e seus filhos, com consultoria do marido
Gláucia Arboleya
Marluce e sua filha Melina, estilista da loja, com quem divide o ambiente de trabalho (Michela Brígida/Folha de Alphaville)

As empresas familiares representam 80% das companhias existentes no país e contribuem com 50% do PIB nacional. Apesar dos números relevantes, apenas 12% desses negócios sobrevivem após a terceira geração familiar assumir a gestão, segundo dados da Pesquisa de Empresas Familiares no Brasil, da PWC. O planejamento sucessório passou a ser peça-chave para manter o funcionamento dessas companhias.

Em Alphaville, a Gazar (www.gazar.com.br), loja de moda com 1.500 m², é um destes exemplos de sucesso. A primeira unidade foi inaugurada em 1993, quando a proprietária Marluce Fernandes de Albuquerque Nunes, alagoana, que veio do Rio de Janeiro, onde seu esposo trabalhava, para o bairro, após a transferência dele da empresa. “Eu negociei com ele, que só viria se trabalhasse e moda sempre foi minha paixão. Ele aceitou e abri minha primeira loja no Centro Comercial de Alphaville (no ano citado)”, contou. Agora, a Gazar fica localizada na Alameda Araguaia, 900.

Com 25 anos de atuação na região, Marluce conta com a ajuda dos filhos no negócio, Melina, estilista e Rafael. O marido, José Carlos, presta consultoria na empresa.

Na avaliação dela, o sucesso é atribuído ao respeito que um tem pelo trabalho e pela opinião de cada um. “Você respeitar o que o outro tem de melhor é essencial, isso é que faz a diferença. Completamo-nos. A loja é nossa segunda casa. Quanto mais eu fico aqui mais eu gosto”, disse.
Há três meses, Rafael inaugurou um Sushi dentro da unidade. “Cada um tem seu departamento e não há conflito. Eu sou clássica, de outros tempos, e eles trazem esta modernidade, o equilíbrio, novos conceitos”, falou Marluce.

A proprietária destaca ainda a importância de estar acompanhando o mercado. Em sua análise, a moda vem se mantendo como na Europa, roupas de qualidade que podem ser utilizadas por muitos anos sem sair “de linha”. “A roupa não pode ser descartável”. Um dos carros-chefes da Gazar é a moda festa. As clientes também contam com consultoria e consertos realizados em um prazo médio de uma hora, no próprio local, que integra também a oficina de costura. A Gazar tem fabricação própria e operação de marcas. Atualmente, possui cerca de 30 colaboradores no total.