Violência de todos os lados - Folha de Alphaville
28/09/2018
COLUNISTAS
Violência de todos os lados
O que se viu no Mineirão logo após a eliminação do Palmeiras da Copa do Brasil diante do Cruzeiro, lamentavelmente, está longe de ser um episódio isolado
Colunista da Folha de Alphaville

A violência está enraizada na nossa sociedade. E o futebol não é exceção. Ninguém é santo nessa história. A violência é estimulada o tempo todo. Muitos torcedores são os primeiros. Além de protagonizarem toda espécie de barbáries que se possa imaginar eles tratam jogadores violentos como ídolos. Foi-se a época em que o mais aplaudido era o driblador, o artilheiro, o goleiro que pega tudo. Hoje o ídolo é quem bate, quem provoca, quem faz o circo pegar fogo.

Basta dar uma pequena olhada nas redes sociais para verificar que Sassá, que agrediu covardemente um adversário, foi mais festejado do que Barcos, que fez os dois gols que classificaram o Cruzeiro. E o time mineiro vai aqui apenas como exemplo. No ano passado, Felipe Melo agrediu vários adversários num jogo contra o Peñarol, no Uruguai. Foi agredido também. E acabou endeusado por muitos palmeirenses.

Os próprios clubes colocam mais lenha na fogueira. O Corinthians, ao invés de exaltar sua grande vitória contra o Flamengo, utilizou suas redes sociais para zombar do time carioca. Pode parecer uma brincadeira banal. Mas nos dias de hoje, com gasolina espalhada para tudo o que é lado, qualquer fagulha é motivo para um incêndio de grandes proporções.

A impunidade é outro ingrediente importantíssimo em todo esse contexto. Nenhum dos jogadores brigões do Mineirão sofrerá punição pesada, podem aguardar. Os "organizados", que vivem se matando e investindo contra policiais, também nunca respondem pelos seus atos. E assim as coisas só pioram.

É importante que todos possamos fazer uma reflexão a respeito. Será que nós mesmos não estamos, em algum momento, em alguma medida, ajudando a tornar a vida mais violenta, mais arriscada ?  Ou, no mínimo, será que nós não estamos nos omitindo e deixando o pau comer à vontade ?  Não adianta a gente sentar em frente a uma televisão e achar que tudo aquilo que estamos vendo todos os dias é apenas culpa dos outros. Para vivermos num mundo melhor, com menos violência, todos temos que tomar alguma providência, por mais insignificante que ela pareça. Ou então continuaremos a chorar os mortos e contabilizar os feridos dessa guerra sangrenta que tomou conta do nosso cotidiano. E do futebol também.




Jornalista e administrador esportivo. Trabalhou nos principais veículos de comunicação do país, foi gerente de futebol do Grêmio Barueri e secretário de esporte da cidade. Atualmente é âncora e comentarista da Rádio Transamérica.