Usina de Reciclagem de Barueri começa a ser construída no fim do ano - Folha de Alphaville
10/08/2018
CIDADE
Usina de Reciclagem de Barueri começa a ser construída no fim do ano
A previsão de conclusão da obra é de 30 meses, segundo a prefeitura. A unidade terá capacidade para tratar 825t de lixo por dia
Gláucia Arboleya
URE ocupará a área onde está a Estação de Tratamento de Esgotos de Barueri (ETE Barueri) (Arquivo/Folha de Alphaville)

Depois de anos sendo discutida, a URE Barueri (Usina de Tratamento Térmico de Resíduos Sólidos Urbanos e Recuperação de Energia) deverá sair do papel. De acordo com a prefeitura, a obra começará no fim do ano. A previsão de conclusão é 30 meses. A empresa responsável pelo projeto é a Foxx-Haztec, que havia dado, à reportagem, estimativa da construção no começo deste segundo semestre.

A Usina ocupará a área do antigo Sanegran, onde está a Estação de Tratamento de Esgotos de Barueri (ETE Barueri) e ao lado da Estação de Pré-Tratamento de Efluentes Industriais da Attend Ambiental, local doado pelo município.

Segundo a gestão municipal, impasses financeiros e contratuais entre os membros societários foram os motivos da demora da conclusão e finalização do projeto. O empreendimento já dispõe da Licença de Instalação (LI) emitida pela Cetesb, de acordo com a administração.

O orçamento está entre R$300 e R$ 400 milhões. A URE terá capacidade para tratar 825 toneladas de lixo por dia, além de geração de 17MW. Esse volume de energia é suficiente para abastecer 80 mil residências.

Atualmente, a coleta seletiva na cidade é realizada porta-a-porta, sendo recolhidos em média 7% do resíduo domiciliar em dias alternados, destinados desde 2002 à Cooperativa de Ex-Catadores de Materiais Recicláveis– Cooperyara. Já o lixo é encaminhado ao Aterro Sanitário da Tecipar Meio Ambiente Ltda., em Santana de Parnaíba. A Unidade irá utilizar apenas os resíduos que não forem aproveitados na coleta seletiva e reciclagem.

A parceria
O empreendimento inovador é uma concessão da Prefeitura de Barueri, administrado pela Foxx Inova Ambiental, empresa brasileira que desenvolveu no país o processo tecnológico conhecido mundialmente por “Waste to Energy” (WTE), combinando a disposição ambientalmente correta para os resíduos e a geração de energia renovável.