Proximidade com a natureza levada a sério - Folha de Alphaville
21/12/2018
CADERNO A
Proximidade com a natureza levada a sério
Formado há dois anos, grupo Bikers4ever pedala pelas ruas da região e privilegia interação com o verde
Graziela Costa
Floriano Gardelli, que integra o grupo, diz que propósito é cuidar da saúde e conhecer novos lugares (Foto: Michela Brígida/Folha de Alphaville)

er (@bikers4ever), de Alphaville, uniu um grupo de 10 amigos apaixonados pelas duas rodas, com o propósito de cuidar da saúde e conhecer novos lugares propiciando a interação homem/natureza. A atividade também possibilitou uma maior integração entre os participantes. “Eventualmente, depois do pedal, fazemos uma parada, que pode ser um lanche na feirinha de Barueri ou no Café Uai, em Cabreúva, por exemplo, até encontros mais elaborados, como baladas, churrascos e feiras de esporte”, comenta o economista Floriano Gardelli, que integra o Bikers4ever.

Ele ressalta que o grupo prefere atividades “outdoor”, de preferência onde seja possível pedalar utilizando modelos MTB (Mountain bike). “Curtimos montanhas e trilhas, natureza. Mas existem alguns integrantes que preferem a modalidade “speed”, que são bikes direcionadas a lugares pavimentados, mais conhecidos como “speedeiros”, explica Gardelli.

Durante a semana, os bikes costumam rodar por Alphaville ou Aldeia da Serra. Mas nos finais de semana a vibe é ir para trilhas/montanha, pela região, como Pirapora do Bom Jesus, Itu, Cajamar, ou até um pouco mais distante. “Já fomos até Jundiaí e Holambra, além de Guararema, Campos do Jordão e Cotia”, relembra.

Antenados, os Bikers4ever costumam participar de algumas provas, como a FBR, Top bike, Tour de France Brasil. “Já integramos o circuito de cicloturismo com passeios pelo Vale Europeu, Patagônia, Vale do Sol e Europa”, conta o integrante.
Para o fim do ano, os amigos se preparam para evento de confraternização e o tradicional pedal Natal Luz, em Santana de Parnaíba.

Olhos de enxergar
“Quando pedalamos, temos um mantra. Sempre estamos de olho para ver se existem possiblidades de colaborar de uma forma ou de outra com a população por onde passamos e estamos nos divertindo”, diz.
Um desses exemplos, foi um grupo que pedalava no vale Europeu, em Santa Catarina, quando apareceu um menino de 11 anos super feliz, apesar da bike que usava estar sem condições. “Sem muita conversa, o grupo doou uma bike nova para o garoto, que era símbolo de quem usa bike. Não importa as condições, nem o local e nem as dificuldades, mas sim curtir o pedal de forma alegre e sem preconceitos”, comenta.

Para participar
Para aderir ao Bikers4ever, que é aberto a todos, há alguns passos. “Normalmente, um integrante convida amigos e conhecidos e o novo interessado participa de alguns pedais. Depois disso, passa por uma votação do grupo, que aceita pessoas de todas as idades”. Floriano também ressalta que não há distinção de modelo de bike, nem de localização. “Há pessoas até de outras cidades”, diz.
Ele explica que os bikers têm de utilizar todos os equipamentos de segurança mínima, que incluem capacete, óculos e sapatos ou tênis. “É preciso paciência e cuidado de ciclistas e motoristas, pois assim poderemos conviver em harmonia e em paz”, finaliza.