Vitrine internacional - Folha de Alphaville
30/11/2018
CADERNO A
Vitrine internacional
Documentário binacional premiado foi realizado em parceria com produtora de Alphaville
Graziela Costa
O cineastra Paulo Adorni e a equipe da Adorni Films, instalada em Alphaville (Foto: Michela Brígida/Folha de Alphaville)

O curta-metragem The Black Mambas (blackmambasmovie.com), produzido em parceria pela produtora americana DKR, dirigida por Bruce Donnelly (DKR) e a brasileira Adorni Films, instalada em Alphaville - e que tem à frente o cineasta Paulo Adorni - ganha destaque na cena cinematográfica: foi vencedor, em setembro, do Jozi Film Festival - Best International Short Documentary Film, em agosto foi selecionado para o Edmonton International Film Festival, no Canadá e, em abril, ganhou o American Documentary FIlm Festival, como Best International Short Film. Mas a produção não para de receber elogios. 

Neste mês, o filme foi exibido em Nova York, dentro do NYCDOCS, um dos mais importantes do mundo voltado ao gênero. Apesar do destaque internacional, ainda não há previsão de exibição de The Black Mambas no País.

O curta trata da caça ao rinoceronte pelo alto valor comercial de seus chifres, uma questão séria nas imediações do Kruger National Park, na África do Sul. Por isso, em 2013, seis corajosas mulheres se juntaram a Craig Spencer, um conservacionista focado, para criar o grupo paramilitar Black Mambas, com o objetivo de proteger essa e outras espécies de animais. “Essa temática que envolve questões tão importantes como sustentabilidade e o papel da mulher na sociedade, em diversas frentes, é o foco do documentário de curta-metragem”, ressalta Adorni, morador de Alphaville.

Para ele, produtoras independentes como a DKR e a Adorni Films ganham visibilidade e possibilidade de negócios participando de festivais. “Produtoras como as nossas, quando são selecionadas para participarem de importantes festivais, ganham respeito, e, a partir do momento que ganham dois deles, como foi o nosso caso, automaticamente, passam a ser notadas pelos grandes canais e distribuidoras”, diz.

Adorni já prepara projetos para 2019, como o Sem Fronteiras, documentário sobre os doutores que devolvem o sorriso aos indígenas, na Amazônia. “Um trabalho maravilhoso”, conclui.