Novidade das eleições 2018, vaquinhas virtuais ainda têm baixa adesão - Folha de Alphaville
07/06/2018
POLÍTICA
Novidade das eleições 2018, vaquinhas virtuais ainda têm baixa adesão
Sistema permite doação de pessoas físicas para políticos; regiõa tem cinco candidatos em site libertado
Hildeberto Jr
João Caramez,que busca a reeleição, está em um dos sites autorizados para receber as doações (Roberto Navarro/Alesp)

Desde o dia 15 de maio,  os pré-candidatos às eleições deste ano estão autorizados a arrecadar dinheiro por meio da internet para realizar suas
campanhas. Novidade das eleições deste ano, as chamadas vaquinhas virtuais eleitorais ou crowdfunding permitem a doação de dinheiro de pessoas
físicas para os políticos e foram liberadas pela pelo Tribunal Superior Eleitoral, o qual regulamenta a arrecadação, os gastos eleitorais e a prestação de contas das eleições 2018.

Luciano Antunes, presidente da empresa Doação Legal (doacaolegal.com.br), uma das autorizadas pelo TSE, explicou que a baixa adesão ao projeto se deve à falta de divulgação. “Os pré-candidatos ainda não estão mostrando o sistema em suas redes sociais”. Antunes acredita que conforme a promoção das campanhas aumentar, o número de doações também subirá. Ainda assim,nas duas primeiras semanas,os 710 candidatos registrados
no site arrecadaram R$ 402 mil. “A expectativa do Doação Legal é que alcance 1.500 candidatos inscritos e que cadauma arrecade, em média, R$ 50
mil”, avalia Antunes.

Da região oeste da Grande São Paulo, cinco pré-candidatos estão inscritos no site, entre eles o deputado estadual João Caramez (PSB), que busca a reeleição. A maioria deles ainda não recebeu doações, a candidatura que mais arrecadou foi a de Carolina Curimbaba Cavalcante, do partido Novo
de Cotia, que postula uma vaga na Assembleia Legislativa. Até a última quarta-feira (6), ela havia arrecadado R$ 1.265,00.

Doações

Para doar, o eleitor deve acessar um link fornecido pelo candidato que o direcionará a página de arrecadação. As doações podem ser feitas por meio de cartões de crédito e transferências bancárias. Cada pessoa pode doar no máximo 10% da renda declarada no imposto de renda. Apenas empresas autorizadas pelo TSE podem receber as doações, sendo que elas são responsáveis por checar a legalidade da origem do dinheiro. Os candidatos podem receber doações até um mês depois de encerrada a campanha. E, no caso de desistência da candidatura, o dinheiro tem que ser devolvido ao doador.