Podemos tem desafio de furar ‘cinturão tucano’ - Folha de Alphaville
12/04/2018
POLÍTICA
Podemos tem desafio de furar ‘cinturão tucano’
Partido iniciou ofensiva com presença do senador Álvaro Dias
Paulo Talarico
Dias já foi do PSDB; sigla prega combate a corrupção (Edivaldo Santana)

Manter uma relação de proximidade, mas se diferenciar do PSDB em busca da presidência. Este é o desafio do Podemos, que realizou nesta semana, em Barueri, um ato para o pré-candidato ao Palácio do Planalto, Álvaro Dias.

Partido com forte presença na região oeste da Grande São Paulo, a sigla tenta se gabaritar como uma nova opção. Em busca disso, a cúpula da sigla realizou um evento com alguns dos principais políticos da região e também com a presença do pré-candidato ao Senado, Mario Covas Neto, além da presidente da legenda Renata Abreu.

O partido tem nove vereadores e dois prefeitos: Rogério Lins (Podemos), em Osasco, e Igor Soares, em Itapevi, mandatários que têm uma relação próxima com o governador Geraldo Alckmin, adversário de Dias na corrida eleitoral.

“Eu acho que essa eleição é diferente, o eleitor, o cidadão brasileiro vai estabelecer uma relação direta com candidatos, vão ver o seu passado e suas propostas”, afirmou. “As estruturas partidárias perderão para a mensagem e, sobretudo, para a história dos postulantes”.

O desafio vai além com Santana de Parnaíba e Barueri administradas pelo PSDB. Ao chegar em Barueri, o senador telefonou para o prefeito Rubens Furlan (PSDB), que já declarou apoio a Alckmin.

A aposta do senador é sua experiência à frente do governo do Paraná, com boa aprovação da população, além de enfatizar o discurso de ‘passado limpo’. “Os eleitores exigem dois requisitos básicos, experiência e passado limpo, são questões essenciais, a sociedade de está em evolução, há no inconsciente coletivo esse desejo de mudança”, comentou Dias.

Lula
O tom de combate à corrupção foi o principal da fala do presidenciável, que afirmou encampar propostas no Senado sobre o tema, como o fim do foro privilegiado, regulamentar a prisão após a decisão em segunda instância e impedir que o Congresso possa vetar uma ação penal contra parlamentares.

No discurso para os militantes, Dias fez críticas a Lula sociedae afirmou que foi preso o ‘chefe da quadrilha’. Ele disse considerar que a prisão do ex-presidente será mantida e criticou o espaço dado ao petista, enquanto não se entregava para cumprir a ordem de prisão.

“Lula teve o espaço jamais visto não só para sua defesa, mas para fazer campanha a seus companheiros de partido, foram 55 minutos de discurso para o Brasil inteiro e para achincalhar a imprensa”, disse. “Evidentemente que, apesar disso tudo, o registro é do avanço, do salto civilizatório, de que a lei é para todos”, conclui.