09/02/2018
POLÍTICA
Vacinação causa polêmica na Câmara de Parnaíba
No início dos trabalhos, imunização em Alphaville foi tema de discussão entre vereadores
Paulo Talarico
Foto: Rodrigo Albertini/Folha de Alphaville

Na primeira sessão da Câmara de Santana de Parnaíba em 2018 na terça-feira (6), vereadores da base do prefeito Elvis Cezar (PSDB) aproveitaram para fazer uma defesa da gestão, mas houve polêmicas no legislativo. Um dos únicos opositores na Casa, o vereador Magno Mori (PSB) criticou a forma que a vacinação da febre amarela foi feita em alguns residenciais de Alphaville.

“O morador do Alphaville não pediu esse tratamento enquanto o morador do 120, Colinas, Fazendinha, tem que correr atrás da vacina o outro vai receber no residencial, não dá pra aceitar”, afirmou o vereador. “Somos iguais, não existe diferença. A gente clama por igualdade e criamos favorecimento, não dá pra aceitar”, alegou.

A fala levou a irritação de outros legisladores, que enfatizaram o fato de que a cidade imunizou 94% da população. “O vereador está fazendo picuinha, o vereador que quer trabalhar, vai para rua e vai mostrar o serviço”, disse o presidente da Casa, Marcos Tonho (PSDB), sem citar Mori.

Nilson Martins (PHS) afirmou que todas as regiões foram atendidas e que a ação não foi divulgada inicialmente, para evitar a vinda de moradores de outras cidades em busca da vacina. “Iniciar pelo Tamboré não quer dizer que é discriminação de pessoas até porque nos outros bairros também foi feita. A gente precisa parar um pouco com a demagogia também”.