Em junho, preço médio de venda dos residenciais foi de R$ 7.543 o m² - Folha de Alphaville
06/07/2018
IMÓVEIS
Em junho, preço médio de venda dos residenciais foi de R$ 7.543 o m²
Levantamento foi realizado em 20 cidades. No 1º semestre, houve queda de 0,16% 
Gláucia Arboleya
O comportamento dos custos não foi homogêneo entre os municípios monitorados (Divulgação/Ingaia)

De acordo com o Índice FipeZap, divulgado na terça-feira (3), os preços de venda de imóveis residenciais encerraram junho próximos da estabilidade. Foi registrada uma queda nominal de 0,16% no primeiro semestre, face à inflação acumulada de 2,49% no período.

O valor médio nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.543/m². Rio de Janeiro se manteve com o m² mais caro do país (R$ 9.556), seguida por São Paulo (R$ 8.774/m²) e Distrito Federal (R$ 7.754/m²). Já os municípios com menor custo por m² foram Contagem (R$ 3.498/m²), Goiânia (R$ 4.134/m²) e Vila Velha (R$ 4.708/m²).

O indicador finalizou junho com variação de -0,06% em relação a maio. A inflação esperada para o mês é de 1,15%, segundo o Boletim Focus do Banco Central (IPCA/IBGE).

O comportamento dos custos não foi homogêneo entre os municípios monitorados. Avaliadas individualmente, apenas seis das 20 cidades, anotaram aumento de preço no período, sendo que as altas mais expressivas foram observadas em Distrito Federal (+0,37%), Goiânia (+0,31%) e São Paulo (+0,21%). Por outro lado, entre as 14 que tiveram redução nominal, os recuos mais expressivos foram notados em Niterói (-0,66%), em Salvador (-0,55%) e Campinas (-0,46%).

Balanço parcial
No primeiro semestre, o preço médio de venda residencial reduziu 0,16% em termos nominais, o que corresponde a uma queda real de 2,59%, considerando a inflação acumulada de 2,49% em 2018 (IPCA/IBGE). Nove das 20 cidades contabilizaram declínio, com destaque para Rio de Janeiro (-2,02%), Niterói (-1,58%) e Distrito Federal (-1,20%). Entre as que contabilizaram crescimento, o acréscimo observado foi mais expressivo em São Caetano do Sul (+2,52%), Vila Velha (+1,50%) e São Paulo (+1,16%).

Últimos 12 meses
Entre junho de 2017 e junho de 2018, o Índice FipeZap revela recuo nominal de 0,47% no custo de comercialização dos empreendimentos residenciais. Nesse intervalo, 10 das 20 cidades pesquisadas mostraram diminuição, entre as quais: Rio de Janeiro (-4,65%), Distrito Federal (-2,93%) e Niterói (-2,61%). Considerando aquelas em que houve aumento de preço, as maiores variações foram registradas em Florianópolis (+4,22%), São Caetano do Sul (+2,57%) e Vitória (2,20%). Em termos reais, o Índice FipeZap acumula queda de 4,55% nos últimos 12 meses.