Pesquisa mostra queda na locação e venda de usados - Folha de Alphaville
06/07/2018
IMÓVEIS
Pesquisa mostra queda na locação e venda de usados
Saldo do ano é positivo no Estado de São Paulo
Gláucia Arboleya

Segundo uma pesquisa divulgada recentemente pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP), as vendas de imóveis usados caíram 18,78% no mês de abril em relação a março no Estado de São Paulo. Esse é o segundo mês seguido de baixa.

Apesar disso, o saldo dos primeiros quatro meses deste ano ainda é positivo, com alta acumulada de 6,57%. Em março, a redução foi de 3,27% em comparação a fevereiro. O que sustenta o resultado no azul, de acordo com o levantamento, são os índices de fevereiro (+ 11,58% sobre janeiro) e janeiro (+ 17,04% sobre dezembro).

O estudo, que foi feito com 998 imobiliárias de 37 cidades, revelou que a maioria dos empreendimentos comercializados em abril foi de valores médios de até R$ 300 mil (53,36% do total) e preço estimado do metro quadrado por até R$ 4.000,00 (51,05% das unidades vendidas).
A maior parte foi comprada com pagamento à vista (56,34%).

Os financiamentos de bancos responderam por 35,07% dos negócios fechados nas imobiliárias consultadas, que ainda venderam 7,46% desses imóveis de forma parcelada pelos proprietários e 1,12% por meio de cartas de crédito de consórcio.

O presidente interino do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), José Augusto Viana Neto, afirmou que as vendas seguiam a tendência geral de recuperação da economia desde o final do ano passado, mas perderam parte do empuxo em abril por conta de fatores como a manutenção do desemprego em níveis elevados. “A compra de um imóvel é sempre uma operação complexa, demorada, arrastada e pode, por isso, acabar represando vendas em um mês ou meses para, de repente, deslanchar nos períodos seguintes”, afirmou Viana Neto.

Locação
Assim como o mercado de imóveis usados, o de locação residencial também ficou no vermelho em abril no Estado de São Paulo. A pesquisa CreciSP apurou recuo de 4,17% em relação a março no número de locações. Foi o primeiro declínio desde o início do ano, mas o bom desempenho dos três meses anteriores foi capaz de assegurar um saldo positivo no quadrimestre de 18,48%.

Mais da metade (52,76%) das unidades alugadas em abril nas 998 imobiliárias pesquisadas custaram até R$ 1.000,00 mensal. A preferência dos novos inquilinos recaiu sobre as casas, 53,38¨% do total. Os apartamentos somaram 46,62%.

A forma mais adotada de garantia do pagamento da locação em caso de inadimplência foi o fiador pessoa física (52,8% do total de contratos), seguido pelo depósito de três meses do aluguel (20,49%).