Brasil ocupa 56º lugar em ranking relacionado à educação empreendedora - Folha de Alphaville
29/01/2018
ESPECIAIS
Brasil ocupa 56º lugar em ranking relacionado à educação empreendedora
Global Entrepreneurship Monitor (GEM) analisou 65 países

De acordo com o mais recente relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), o Brasil ocupa a 56ª posição em uma lista de 65 países quando se trata de educação empreendedora. O levantamento aponta que a maioria dos jovens não aprende sobre empreendedorismo, incluindo habilidades de negócio. Segundo o GEM, o país está em 52º lugar no ranking de educação empreendedora após a escola. Os Países Baixos encabeçam a primeira colocação.

Quase 50% dos especialistas em empreendedorismo entrevistados para a análise, listaram educação e capacitação como uma recomendação para melhorar as condições de empreender no país. “A pesquisa do GEM confirmou uma relação positiva entre treinamento para começar um negócio e comportamento empreendedor, algo que não é sempre visível no curto prazo”, escreveram. “Treinamentos práticos e interativos de negócios e empreendedorismo no ensino médio são um fator importante para encorajar esse perfil no jovem eficaz”, reforçaram.

Uma das sugestões que constam no estudo é que as instituições também precisam promover ativamente o empreendedorismo como trilha profissional e convidar jovens empreendedores de sucesso para participarem de programas educacionais. Outras indicações incluem oferecer estágios para interessados na área, reformar leis para tornar mais fácil a abertura de novos negócios, criar uma rede que conecte exemplos de sucesso, entre outras.

ÍNDICES
A quantidade de brasileiros que empreende, seja por oportunidade ou necessidade, já é significativa. Entre 2015 e 2016, 31% tinham o próprio negócio ou tomaram uma atitude para serem donos de suas empresas. Outro ponto, que destaca a veia empreendedora do país, é o fato de 57,6% dos entrevistados afirmarem que o medo do fracasso não os impediria de começar um novo negócio.

De acordo com o GEM, o empreendedorismo cresce em importância desde a crise financeira global de 2008, pois mostrou que as pessoas não podem mais depender apenas da oferta de emprego de governos e grandes empresas.

ESCOLA ITINERANTE
O Empreendescola, que surgiu no Liderança Na Prática 32h, um curso de formação de lideranças da Fundação Estudar, busca transformar um pedaço desse panorama. Trata-se de uma unidade itinerante que oferece formação empreendedora gratuita para jovens em condição de vulnerabilidade social em cidades brasileiras. Até hoje, já se formaram 17 turmas.

A ideia não é que todos saiam dali com um plano de negócios ou uma empresa, mas também ensinar uma mentalidade mais proativa, voltada para a resolução de problemas e para a ação, características essenciais de um empreendedor. “Eu diria que empreender é um misto de coragem, competência e falta de medo”, resume o cofundador Wellington Santos Silva. “Dia após dia, é preciso provar que você é 200% melhor em níveis de conhecimento que muitas vezes nem imaginava serem necessários ”, finalizou.