Para compensar queda no preço do diesel, governo aumenta impostos - Folha de Alphaville
31/05/2018
ECONOMIA
Para compensar queda no preço do diesel, governo aumenta impostos
Redução de R$ 0,46 no preço do combustível custará R$ 9,5 bilhões aos cofres públicos.
Ministro da Fazenda anuncia aumento de impostos para compensar redução do diesel

Para compensar o gasto de R$ 9,5 bilhões com o subsídio para reduzir o preço do diesel, o ministério da Fazenda e a Receita federal anunciaram nesta quinta-feira (31) aumento de impostos para diversos setores da economia.

Entre os setores mais atingidos com a elevação de impostos promovida pelo governo federal estão empresas exportadoras, indústria química e fabricantes de bebidas. Segundo o secretário da Receita, Jorge Rachid, as medidas devem render aproximadamente R$ 4 bilhões. De acordo com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, os R$ 5,7 bilhões restantes virão de uma reserva orçamentária do governo.  

Para os exportadores, o governo praticamente zerou o benefício do Reintegra, programa que devolve aos empresários uma parte do valor exportado por meio de créditos do PIS e Cofins. Em relação à indústria química, foi revogado o Reiq, regime especial que permitia ao setor ter descontos no pagamento de impostos.  E, na indústria de bebidas, o governo reduziu o crédito que era concedido no Imposto Sobre Produtos Industriais (IPI) dos concentrados para refrigerantes.

O subsídio para o diesel foi uma solução encontrada pelo governo para atender às reinvindicações dos caminhoneiros que estavam em greve.  A redução de R$ 0,46 no litro do combustível foi anunciada no último domingo (27) pelo presidente Michel Temer, após uma tentativa frustrada de acordo para encerrar a greve.  O desconto do combustível vigorará por dois meses e começa  a valer nesta sexta-feira (1) em todos os estados do país.