09/02/2018
ECONOMIA
Oito empresas da região fizeram investimentos no terceiro trimestre
Fundação Seade indica valor de R$ 4,8 bilhões em novas ações de empresas da região
Paulo Talarico
Foto: Rodrigo Albertini/Folha de Alphaville

A Fundação Seade divulgou no final da última semana o resultado do terceiro trimestre da  Piesp (Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo). Mais uma vez, os valores desembolsados por empresas que estão na região oeste da Grande São Paulo tiveram peso na soma final das novas ações das empresas do estado. De acordo com o Seade, foram contabilizados US$ 4,8 bilhões de investimentos para todo o território paulista, o equivalente a R$ 15 bi.

No total dos três primeiros trimestres, o estado teve um total de US$ 16,1 bilhões, o que já equivale ao dobro do total de um ano antes, quando foram US$ 8 bilhões. Na região, a cidade com mais investimentos privados foi novamente Barueri, em especial por conta do polo industrial de Alphaville.

Segundo o Seade, a Azul Linhas Aéreas comprou cinco aeronaves da Airbus, no modelo A330900neo, em um total de R$ 4,7 bilhões. Nos últimos anos, a companhia foi a citada com maiores valores investidos. Antes, a empresa já havia investido R$ 8,4 bilhões na aquisição de 30 jatos Embraer de nova geração. A ação, contudo, ainda segue em andamento e a previsão é de que seja concretizada até o ano de 2020.

“Vão nos ajudar a sermos mais eficientes. Queremos crescer, trazer novos clientes para voar conosco”, comentou o presidente da Azul, John Rodgerson, no último ano. Ainda em Barueri, a Robertet investiu R$ 37,8 milhões na ampliação parque industrial com a construção fábrica para produzir aromas. Outros R$ 80 milhões são da Hoya, para a construção fábrica de produção de lentes ópticas, enquanto a Hypermarcas é citada, mas sem ter divulgado a quantia.

Outras cidades também apareceram com investimentos empresariais no terceiro trimestre. A Globalweb colocou R$ 1,3 milhão na abertura da central de processamento de dados e, em Cotia, a Rehau gastou R$ 2 milhões na ampliação da produção de fita de borda para o segmento moveleiro
com a compra de equipamento para fábrica.

Pesquisa De acordo com o Seade, a liderança de investimentos coube à infraestrutura, com quase dois terços do total do terceiro trimestre, relacionados especialmente ao transporte aéreo e ao segmento de eletricidade, além das atividades auxiliares dos transportes. Na sequência, vêm a indústria (16,7%), e os serviços (11,7%).

A distribuição regional dos investimentos no terceiro trimestre revelou forte concentração na Região Metropolitana de São Paulo (US$ 3,0 bilhões), seguida de Campinas (US$ 673,6 milhões), Sorocaba (US$ 451,6 milhões) e Bauru (US$ 221,7milhões).

A Piesp capta, diariamente, notícias divulgadas na imprensa sobre investimentos de empresas públicas e privadas.  Em seguida, as informações contidas nos artigos publicados são confirmadas e complementadas em contato feito com as empresas responsáveis pelos investimentos.