CEOs analisam importância da inovação - Folha de Alphaville
08/02/2018
ECONOMIA
CEOs analisam importância da inovação
Presidentes da RechLocal Brasil/Latam e da Buscapé analisam cenário
Paulo Talarico
Foto: Rodrigo Albertini/Folha de Alphaville

No comando de uma empresa que já atua em boa parte conectado com o mundo digital, a RechLocal Brasil/Latam, José Geraldo de Barros Coscelli
comentou que um de seus papéis para buscar o avanço da empresa é tirar os funcionários da zona de conforto. “A minha principal função é tirar
todo mundo da zona de conforto e fazer com que todos tenham inquietudes, se reinventar todo dia”, conta.

Durante o evento de lançamento do GPTW, Coscelli enfatizou que as transformações tecnológicas não são para o futuro, mas para hoje. “Eu acho que existe ainda empresas que veem isso ainda como coisa de futuro e é uma realidade total do dia a dia. Mas ainda existem empresas que precisam pensar esse caminho. Que tem não só a ver com tecnologia, mas com gestão de ser humano”, completa.

Inovar deve ter um objetivo
Presidente da Buscapé Company, Sandoval Martins, também falou sobre a importância dos avanços tecnológicos, mas fez uma ressalva. Não adianta
tentar forçar esse tipo de processo. “O CEO comete um grande erro quando a primeira coisa que faz é criar uma área de inovação. Inovar por inovar não quer dizer muito”, afirmou.

Ele citou que o processo deve buscar soluções para a empresa, enquanto a tentativa forçada pode ser apenas um chamariz que não agrega valor a empresa. “Todo mundo leva inovação para tecnologia. Eu levo para fazer melhor o que eu faço hoje e que entregue um valor para empresa e para o consumidor”, completa, sem negar a necessidade da evolução tecnológica para prestar um melhor serviço.

Deconexão
Estudioso de Cultura Digital e web ativista, Gil Giardelli comentou que o mundo vive a sua quarta revolução industrial, em meio aos avanços
tecnológicos. No entanto, ele também enfatizou que é necessário cuidado com o excesso de tecnologia em que vivemos no ambiente de trabalho. “Se
vocês quiserem inovar, experimentem a desconexão”, comentou.

Ele citou o excesso de interações que chegam por minuto para cada usuário de rede social e que as empresas estudam meios de deixar as pessoas  sempre conectadas. “Usem as mídias sociais, mas cuidado para não perder a sua produtividade e, mais que isso, para não perder a sua vida”.