Começa um novo ciclo - Folha de Alphaville
06/09/2018
COLUNISTAS
Começa um novo ciclo
Alisson, Fabinho, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Casemiro, Fred e Philippe Coutinho; Douglas Costa, Roberto Firmino e Neymar
Colunista da Folha de Alphaville

Esta é a primeira escalação de Tite no novo ciclo da Seleção Brasileira visando a Copa de 2022. Mais do que a simples definição de um time para o amistoso da noite de hoje contra os Estados Unidos esta formação traz revelações que merecem um comentário mais abrangente.

A primeira conclusão é que o treinador decidiu prestigiar quem disputou a Copa da Rússia, afinal, dos onze titulares, apenas o lateral direito Fabinho não esteve lá. E assim mesmo porque os três jogadores da posição no ciclo anterior, por razões diversas, não puderam ser convocados.

Outra observação interessante é que Tite não está pensando apenas na próxima Copa do Mundo. Assim fosse e ele não teria chamado Thiago Silva e Filipe Luís, que, pela idade, dificilmente poderão ir ao Catar. A Copa América do ano que vem que será disputada aqui e as Eliminatórias parecem ter atenção especial do técnico. Talvez até por uma questão de manutenção do emprego, sei lá.

A base da última Copa prevalece, inclusive, sobre a questão técnica e a capacidade individual de cada jogador. Só por isso, Arthur, por exemplo, não é titular no lugar de Fred. O ex-jogador do Grêmio é muito superior ao ex-jogador do Internacional. Não há termo de comparação entre eles.

A se destacar, ainda, a péssima escolha dos dois primeiros adversários desse novo ciclo. Enfrentar os Estados Unidos, que sequer conseguiram a classificação para o último Mundial e El Salvador, que não existe no cenário do futebol, nada acrescentarão à Seleção Brasileira. Fica difícil até fazer alguma análise mais apurada em termos táticos ou técnicos em jogos como esses. A questão é que a CBF precisa faturar, afinal, ninguém é de ferro.

Preocupa, também, a não inclusão de alguém mais experiente na comissão técnica. A Copa mostrou a necessidade de um profissional com mais bagagem, até para blindar Tite e os jogadores em determinadas circunstâncias. Mas quem está lá acha que sabe tudo. Então, fazer o que ?




Jornalista e administrador esportivo. Trabalhou nos principais veículos de comunicação do país, foi gerente de futebol do Grêmio Barueri e secretário de esporte da cidade. Atualmente é âncora e comentarista da Rádio Transamérica.