Possíveis defeitos nos vinhos - Folha de Alphaville
06/09/2018
COLUNISTAS
Possíveis defeitos nos vinhos
Ainda que seja uma bebida dos deuses e sendo difícil de imaginar, os vinhos também apresentam alguns defeitos
Colunista da Folha de Alphaville

Para muitos leitores este tema pode constituir certa surpresa. Para a maioria dos consumidores são poucos os vinhos (pelo menos aqueles dentro das categorias de qualidade média e alta) que apresentam defeito(s) notório(s). Aliás, o único defeito de muitos vinhos é serem caros.

A qualidade dos vinhos que hoje se vendem no mercado é controlada e regulamentada pelas nossas instituições (IVV, IVDP, IVM, CVRs). Estas estão cada vez melhor aparelhadas tanto em equipamentos como em qualidade técnica. Os vinhos só podem ser comercializados desde que cumpram os requisitos estabelecidos por lei depois de devidamente comprovados em laboratório e no teste de degustadores. Porém, o vinho é um elemento vivo do ponto de vista químico e sua evolução em garrafa pode levá-lo a contrair um defeito, conforme a dimensão da inesperada e infeliz ocorrência.

Seguem abaixo os exemplos dessas ocorrências:

-Oxidação: contato do vinho com o ar, normalmente ocorre por defeito na vedação, como o próprio ressecamento da rolha permitindo a passagem de ar

-Cristais e sedimentos: sedimentos sólidos oriundos da polimerização de compostos fenólicos e os cristais são bitartarato de potássio que vem da precipitação tartárica do mesmo ácido existente no vinho. Nesses casos, o vinho não foi estabilizado artificialmente e sim de maneira natural.

-Brettanomyces: Aroma de couro, animal, suor, cavalo, pêlo de cabra - causa - contaminação das uvas com essas leveduras, baixos teores de SO2 e armazenagem a altas temperaturas favorecem a incidência deste defeito.

-Cozido: vinho exposto a altas temperaturas por um período longo. Vinho sem estrutura, sem frescura e cansado.

-Enxofre: O SO2 (dióxido de enxofre) é muito usado pelos enólogos para conservar a bebida. Em dosagem errada, pode produzir fortes odores desagradáveis de queimado.

-Bouchonné: Odor desagradável no vinho, provocado pelo mau estado da rolha, causado por uma substância química que surge na presença de fungos na rolha de cortiça e que confere ao vinho um odor de mofo. O aroma é muito semelhante ao do papelão molhado.

 

É importante entendermos que em função da alta regulamentação que cerca o mundo do vinho, esses defeitos são achados em baixa escala, podendo acontecer em algumas situações pontuais.




Luciana Zarif tem formação jurídica e é sommelière há 10 anos na área do vinho. É também especialista e consultora e atualmente trabalha na V&A Vinhos e  azeites.

redacao@folhadealphaville.com.br