Final deprimente - Folha de Alphaville
12/04/2018
COLUNISTAS
Final deprimente
Colunista da Folha de Alphaville

Não poderia ter terminado de pior forma o Campeonato Paulista de 2018. A fraca arbitragem brasileira deixou uma marca indestrutível. E as dúvidas sobre a lisura da competição tendem a se perpetuar. 

Quando esse humilde jornalista amigo de vocês denunciou os males que seriam gerados do jogo entre Santos e Flamengo da Copa do Brasil do ano passado, na Vila Belmiro, o mundo quase veio abaixo. Fui acusado de proteger o Santos e até acabei me envolvendo numa briga pública com um famoso repórter envolvido naquela situação. Nenhuma providência foi tomada. E o resultado aí está. E o que é pior: empanando o brilho de uma decisão de campeonato.

A grande verdade é que o futebol não comporta que uma partida fique paralisada por dez minutos até que uma decisão fundamental para o seu desfecho seja tomada. Faltou personalidade ao apitador. Faltou fair play aos atletas. Faltou transparência às autoridades. Faltou tudo. 

Também é importante que seja dito que toda essa confusão não pode apagar o vexame do Palmeiras, que jogava em casa, pelo empate, contra um adversário que investiu muito menos e, mesmo assim, negou fogo.

Que fique a lição. E que essa lição não seja a apologia ao árbitro de vídeo. Precisamos, sim, de arbitragens mais eficientes, executadas por pessoas melhor preparadas. Simples assim. 




Jornalista e administrador esportivo. Trabalhou nos principais veículos de comunicação do país, foi gerente de futebol do Grêmio Barueri e secretário de esporte da cidade. Atualmente é âncora e comentarista da Rádio Transamérica.